Por Job Content
Em 18/12/2018

Confundido com o “bicho de sete cabeças”, o Briefing também é fundamental para a produção de um bom conteúdo para a web. Veja como produzimos os nossos e desmistifique este “documento”.

Onde estão as informações mais importantes sobre você? Na sua carteira? Na sua bolsa/mochila? No seu coração ou no seu cérebro? Independente do lugar, todos nós precisamos ter algo para guardar o que diz respeito a nós. A história do Briefing não é diferente.

Todas as informações que devem constar no conteúdo estão registradas em um documento, o famoso Briefing. Ele é responsável por repassar ao redator todos os itens que será necessário para construir o material. Sem esquecer que, todo projeto de marketing pautado em resultados, seja criação de website, blog post ou anúncio, começa por um bom Briefing.

Nesta leitura você vai aprender a construir o Briefing do seu conteúdo da melhor forma. Vamos lá!

Afinal, o que é um Briefing?

Usado normalmente na publicidade, o Briefing é a peça-chave que vai garantir o sucesso do seu trabalho.

Alguma vez você já utilizou um GPS? Você precisa seguir as rotas contidas nele se quiser chegar com assertividade ao destino final, não é mesmo? Mas, se o dispositivo não estiver atualizado, você provavelmente não vai conseguir concluir o seu trajeto com sucesso.

Essa comparação pode parecer um tanto simples, mas ajuda a entender o propósito do Briefing: é um documento que contém todas as particularidades de um projeto e é o pontapé inicial para o seu desenvolvimento. No caso do conteúdo, o Briefing é um resumo breve e detalhado do que precisa conter e como deve ser feito o material, podemos dizer que ele funciona como um “manual de instruções”.

Mas, o que precisa ter em um Briefing para conteúdo? É o que você vai descobrir a seguir!

Passo a passo: como criamos o Briefing dos nossos conteúdos

1. Saber quem é a empresa e seus produtos

Pode parecer algo fácil, mas entender quem é a sua empresa vai muito além de saber o seu nome. É preciso entender quem é a sua empresa e seus produtos a fundo, sabendo sobre o ramo de atuação e analisando todas as informações que você possuir. Fazendo isso, você evita interpretações distorcidas e perda de tempo por não saber o que é preciso transmitir.

Esse ponto também é importante porque, muitas vezes, quem vai produzir o Briefing não é o dono da empresa que entende tudo sobre ela. Por isso, o responsável pelo documento precisa ter esse entendimento maior também.

2. Entender a persona

Antes de definir o tema do conteúdo, é preciso rever a persona para analisar sua dor. Entendendo isso, fica mais fácil saber qual o tipo de conteúdo que o leitor vai precisar encontrar.

Um exemplo prático, é quando um paciente está com dor de dente. Ele vai procurar na internet sobre o tema, logo, o dentista vai precisar possuir conteúdos que tirem suas dúvidas a respeito da dor de dente, bem como explicando causas, o que pode ser e quando procurar um profissional (no final ele até pode falar sobre os seus serviços e inserir informações de contato como chamada para ação).

3. Analisar a jornada de compra

Existem conteúdos específicos que ajudam o lead a percorrer a jornada de compra. É preciso analisá-la a cada planejamento de material para saber se o mesmo se adequa em aprendizado, reconhecimento, consideração, decisão de compra, e assim conseguir produzir algo que entregue valor.

Os conteúdos que farão parte da estratégia também podem ser sugeridos ou criados a partir da definição da jornada de compra.

4. Seguir um plano para cada etapa do funil de vendas

De qual etapa do funil o conteúdo faz parte? Lembrando que são: topo (conteúdos ricos em informações, com dicas para atrair e educar o seu visitante, mostrando que ele tem um problema e pode nem saber), meio (mostrar de forma prática como solucionar o problema apresentado ao lead no topo) e fundo (mostrar por que a sua empresa é a melhor para resolver a dor do lead, os conteúdos devem ser mais consistentes, técnicos e atraentes).

Por isso, você precisa entender todas as etapas do funil de vendas para focar em apenas uma por conteúdo. A combinação funil + dor da persona, ajuda a saber que tipo de conteúdo é ideal.

5. Pesquisar a palavra-chave

Depois de identificar qual o assunto do seu conteúdo, baseado nas etapas anteriores, você precisa buscar pelas palavras-chave para definir uma ou mais. Isso pode ser feito em ferramentas, como o planejador do Google e o SEMRush. Procure optar pelo termo que possuir mais buscas e for relevante para a sua persona, mas é preciso analisar também a procura pela palavra e a concorrência.

Outra dica é digitar o termo no Google para descobrir quais são os resultados. Essa busca ajuda a identificar a forma como o seu consumidor pesquisa e assim entregar o que ele quer na hora certa.

P.S.: Pode ser que um conteúdo tenha mais do que uma palavra-chave. Se for o caso, é preciso deixar claro qual é a palavra-chave foco do conteúdo e qual é a secundária, ambas deverão estarem presentes no decorrer do texto, só que a principal deverá ser citada mais vezes.

6. Descrever o que precisa ter no conteúdo

Após saber direitinho todas as informações anteriores é preciso evidenciá-las no Briefing e descrever tudo o que precisa constar no material.

É basicamente isso que você pode colocar na ideia do Briefing do seu conteúdo:

  • Título;
  • Quantidade de palavras;
  • Breve explicação sobre o que deve ser feito no material, com itens e intertítulos;
  • Palavras-chave;
  • Persona;
  • Estágio da compra;
  • Objetivo final do conteúdo (o que o leitor deve aprender);
  • Tom de voz;
  • Fontes de informação;
  • Se precisa acrescentar imagens/fotos;
  • Chamada para ação do final.

Lembrando que esse não é modelo ideal que toda empresa precisa seguir ao produzir seus conteúdos, mas é o que funciona para nós. Você também precisa avaliar o que mais se encaixa na sua empresa. Outro fato importante, é que alguns itens são opcionais, como sugestão de título e fontes de informação, isso pode ficar por conta de quem vai escrever o texto.

Dica extra: antes de começar a escrever o Briefing do seu conteúdo, busque ideias em outros materiais que já existem. Assim, você consegue produzir um conteúdo mais rico e completo, diferente do que tem na internet.

P.S.: Como o Briefing é um resumo, não é recomendado que ele seja extenso. Procure elencar apenas os itens mais relevantes.

7. Definir um prazo

Para que o conteúdo não fique parado em nenhuma etapa, monte um bom planejamento que respeite os tempos de:

  • Produção do conteúdo;
  • Revisão/Aprovação do conteúdo;
  • Correção ortográfica;
  • Postagem no blog/site.

8. Analisar o conteúdo

E depois de pronto, o que acontece com o conteúdo? Depois de escrito, o material deve passar pela análise pós-briefing e voltar para quem o solicitou. Assim, essa pessoa verifica se tudo está conforme descrito no Briefing e de acordo com a estratégia maior de Marketing de Conteúdo. Procure entender se o material:

  • Resolve um problema;
  • Está condizente com a etapa;
  • Segue o tom de voz;
  • Está com a linguagem adequada;
  • Respeita o volume de palavras, entre outras.

P.S.: O conteúdo não precisa ser feito exatamente como foi solicitado no Briefing. É possível excluir, alterar ou sugerir tópicos. Tenha sempre em mente que mudanças podem ocorrer, pois os materiais podem ser adaptados.

Por que o Briefing é necessário no Marketing de Conteúdo?

Devido a algumas razões simples:

  • É com ele que se obtém informações para criar um conteúdo personalizado e adequado para o que a persona busca;
  • Facilita a criação do redator, já que com o Briefing ele entende melhor o que precisa ser redigido e produz uma solução à altura;
  • Nem sempre você vai saber quais são os problemas que a sua empresa resolve, com o Briefing é possível identificar novas dúvidas e necessidades que a sua persona tem;
  • O Briefing também ajuda a seguir um bom planejamento de conteúdo, elencando tudo o que precisa constar no material, assim fica difícil perder o foco e produzir algo que não seja consistente;
  • A produtividade e a inspiração de quem vai escrever aumenta, já que o planejamento está feito, ele consegue partir direto para a escrita e reservar um tempo melhor para a execução.

Um bom Briefing de conteúdo precisa ter:

  1. Descrição breve e informações estratégicas;
  2. Persona;
  3. Estágio da compra e etapa do funil;
  4. Palavras-chave;
  5. Objetivo;
  6. Quantidade de palavras;
  7. Tom de voz;
  8. Prazos.

Como você viu não existe o melhor jeito de fazer um Briefing. É preciso analisar a necessidade da sua empresa e identificar o melhor “modelo” para seguir na sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

E aí, que tal aprender um pouco mais sobre conteúdo e partir para a próxima etapa: a da produção? Recomendamos esse post: Como produzimos conteúdos de alta qualidade e que aumentam os acessos do seu site.

Por que minha receita de Inbound Marketing não está funcionando?

Confira aqui os principais erros que influenciam a sua receita de Inbound Marketing e o que fazer para torná-la efetiva.

Qual a área de atuação do seu negócio?

Qual o seu cargo?

Telefone Comercial: